Seguidores

sábado, 21 de janeiro de 2012

A Impermanência

...Ainda é cedo, passa um pouco das 8 horas, mas para mim parece que o dia já passou, pelo menos o de hoje...

...tenhamos então um bom dia o dia inteiro, porque o dia de hoje é unico!!!



No filme O Pequeno Buda, de Bernardo Bertolucci, é demonstrado, de maneira bastante poética, um princípio do Budismo, que é o princípio da impermanência.  
Os monges budistas passam muito tempo construindo delicadas e complexas mandalas de areia colorida no chão, para depois, num gesto firme e decidido, destruí-las com a mão.
'Que desperdício de tempo..', pode ser o primeiro pensamento que muitos de nós podemos ter.  
Mas o fato é que existe uma sabedoria atrás desse gesto. Eles o fazem propositalmente, para lembrar que na vida nada é permanente.  
Gosto dessa comparação. Ela nos faz um convite a não depender de coisas ou estados emocionais para sermos felizes. Somos seres muito especiais, com uma incrivel capacidade de amar, de perdoar, de crescer, de nos des-envolver. Na verdade, a única coisa que realmente temos é o momento presente, com seus inúmeros convites ao crescimento pessoal, e múltiplas opções de ação, ou não-ação. É claro que as coisas que fazem parte da nossa vida são importantes e queridas, mas uma dose de desapego também pode nos trazer um enorme benefício.

IMPERMANÊNCIA
Há pensamentos que vêm e vão.
Há amores que vêm, ficam e passam.
Na vida, tudo é transitório, nada é fixo.
Há coisas que ficam por um tempo, outras por um tempinho, e outras mais por um tempão. Porém, tudo passa.
O traço característico da existência terrestre é a impermanência.
Logo, o apego a algo é uma ilusão, pois nada nos pertence para sempre.
As pessoas dão muita importância a coisas que não valem a pena.
Na verdade, nada é importante, a não ser a experiência da vida que passa.
No Universo só há três coisas permanentes:
Deus, o Amor (que faz a magia da luz acontecer) e os espíritos (que também somos nós).
- Wagner Borges –
Somos seres muito especiais, com uma incrivel capacidade de amar, de perdoar, de crescer, de nos des-envolver.

11 comentários:

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Maravilhosas suas palavras querida amiga, amei!
Esse exemplo do Budismo e comparação... é bem interessante por isso sejamos felizes, cada um do seu jeito como seres especiais que somos e com a oportunidade de estar nesta vida!
E ... sim, desapego... se bem entendo.. rsrsrs

Bjs

Lou disse...

Você, como semmpre, nos ajudando refletir um pouco... Adorei seu texto.
bjs cheio de saudades da Lou

La sonrisa de Hiperión disse...

Siempre estupendas las cosas que nos dejas, como siempre un placer.

Saludos y feliz domingo.

ONG ALERTA disse...

Excelente post para se pensar neswte domingo, beijo Lisette.

Casa Decorada disse...

Menina do ceú, quanta verdade nesse post. Imaginei as mandalas no chão sendo construidas e destruidas e na minha ignorância, lamentei e depois ao ler mais, entendi .É muito dificil aceitar que é assim, com o tempo vamos ficando mais mansos e aprendemos que assim que tem que ser...
Lindo post! Parabéns sempre!
Bj
Valeria

Bergilde disse...

Eis uma explicação para o vazio que domina os corações e mente daqueles que se apegam somente às coisas materiais nesse plano,ou seja,não compreendem que tudo,mas tudo passa,menos o verdadeiro amor.
Vejo suas fotos pelo face e me encanto sempre pelas apresentações que faz,parabéns e um abraço!

Georgia disse...

Shan, eu acho que nós somos por demais apegadas as coisas, acho que por isso fazemos tantos problemas.

Bjao e linda essa sua reflexao por aqui

Bergilde disse...

Novamente meu obrigado pelo que me enviaste através do face.Deixei uma video-mensagem por lá.
Abraços,

Paulo Bouvier disse...

Uau, sensacional.
O exemplo do Budismo acetou na mosca. Eu sou Budista a um certo tempo e gostei de suas palavras.
Vou me atualizar com seus textos.

Peço perdão por me ausentar do meu blog. Mas estou de volta. E com aparencia nova e um post para a minha volta:

http://paulobouvier.blogspot.com/2012/01/voltei_27.html

Peço que visiste e comente. ABraços.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Perfeito o texto.

O amor é para mim
a essência de tudo.

Penso que será a forma
de nos eternizarmos
nas lembranças
que deixamos
de nós.

No mais,
tudo passa...

E é bom que seja assim...


Que a chama da alegria
esteja sempre acesa em ti.

ONG ALERTA disse...

Beijo Lisette.