Seguidores

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Criança diz cada uma - parte 2

1- Consulta de rotina ao pediatra:

Aos dois anos ela já falava quase tudo...
Meu marido é de origem alemã e de toda frase que fala, pelo menos uma palavra é em alemão  e  foi assim que ensinamos nossa filha a falar.  
O pediatra falou para mim que a colocasse sobre a maca e como a maioria das crianças ela tinha aversão a médicos e naturalmente agulhas.

Pronto, ela começou a chorar, gesticular e falar sem parar:
"Nicht, nicht, nicht, nicht...!!!
Em português significa: "não, não, não". Era não com a mão, com a cabeça e com a boca.



 2- Vaidade feminina

Havíamos acabado de mudar para um apartamento e tínhamos uma estante em estilo colonial, cujos pés eram em formato de bola que tinham um certo peso. 
Quando  se muda de casa sempre gostamos de fazer algumas modificações na mobília e foi assim que tiramos os "pés de bola" da estante e guardamos dentro dela.

Um casal amigo nosso veio nos visitar com seu filho que era um ano mais velho que a nossa filha. Enquanto conversávamos vimos quando eles tiraram de dentro da estante as tais bolas e começaram a brincar como se fossem dados. 
A certa altura o menino levantou a bola e jogou para minha filha, ela não conseguiu pegar e a bola bateu em seus lábios. Foi horrível! a bola cortou o lábio inferior deixando a mostra o dentinho.

Corremos para o hospital, ela no meu colo e eu segurando uma fralda com gelo para estancar o sangue.
Meu marido dirigia o mais rápido que podia e eu chorando por vê-la assim e  nos culpando, pela negligência em deixar os pés da estante em lugar que ela podia pegar.

No hospital ela foi envolta num lençol para que ficasse imóvel e eles fizessem a sutura. Ela levou cinco pontos. Foi muito triste e desesperador ver fazerem isso.
O médico falou que deveríamos dar sorvete (ela adorou essa parte ) e o leite com canudinho no lugar da mamadeira.

Horas depois na saída do hospital e já um pouco recuperada do choque ela falou:
    
 -Será que eu não vou mais poder tomar "bule"? nem chupar bico, nem passar batom?

Eram a sua maior preocupação.


Graças a Deus ela se recuperou bem e as marcas dos pontos são praticamente imperceptíveis.  

observação: 
Bule: para nós é a mamadeira, mas não encontrei a palavra em nenhum dicionário alemão.



4 comentários:

Lou disse...

Adoro o olhar das crianças sobre as coisas de um modo geral. Suas perguntas diretas são muito boas. bjs da Lou

Larissa Bohnenberger disse...

Ai que invejinha... eu tenho até hoje uma certa mágoa pelos meus pais não terem criado o hábito de falar alemão com a gente quando éramos crianças. Hoje eu e meus irmãos somos os únicos da família que não falam alemão. Quando a parentada se reúne e começa a contar piada, ficamos ali, com cara de paisagem sem entender lhufas!

Bjs!

shan-Tinha disse...

guten morgen Larissa!
eu só aprendi palavras soltas e as "besteiras" em deutch, em quase 30 anos vivo "boiando" enquanto ele e a família conversam.

Georgia disse...

Bom dia!!! Tudo bem?
Vim te agradecer a visita, feita na minha Saia, rs.

Pena que vc nao aprendeu um pouco mais de alemao para poder entender. Eu sei que essa língua é terrívelmente difícil. Eu tb tive muitas dificuldades em aprendê-la porque meu marido já falava o português. Mas como nós vivemos aqui, eu nao tive alternativa.

A palavra para mamadeira é: Flasche, você a simplesmente dá a ela uma outra conotacao como Milchflasche, muitas das vezes é chamada de NUK, que seria a marca da mamadeira ou Babyflasche.

A parte do sorvete é sem dúvidas a melhor parte, rs.

Espero que sua filha esteja bem e que nao fique marcas. Mas já nesta idade preocupada com o baton, rs.

Bjao